COMO FUNCIONA

Quando houver um tema polêmico ele será proposto
Você comenta e argumenta a favor ou contra
No fim de 30 dias, somam-se os que foram a favor, e os contra ( indecisos não somam ) e vence a maioria
No seu blog, DIVULGUE a favor & contra entre seus leitores, e convide-os a participar

maio 15, 2011

Oitavo tema: BIN LADEN

A prisão e morte do terrorista BIN LADEN era desejada há 10 anos pelo mundo todo. A pergunta é:  você concorda com a FORMA como foi executada a operação?

24 comentários:

Cacá - José Cláudio disse...

Oi, bom dia!
Não!
Acho que a ação também foi terrorista uma vez que invadiu um país por causa de um homem. Isso forneceu munição para mais vingança. Ou seja, não teremos paz nunca. Violência gera violência e os EUA sabem tanto disso que estão sofrendo as consequências de tudo o que já fizeram nesses termos pelo mundo afora. A questão é que quando há lutas contra radicais demais , os estilhaços sobram para qualquer um que estiver à frente. Muita gente inocente acaba pagando o pato. A desculpa de que a operação era secreta não se sustenta, pois o terrorismo age da mesma forma. Já tivemos o início da vingança no Paquistão com os Talibãs e agora o resto do mundo ocidental vai ter que ficar com as barbas de molho (e em Pânico) por conta de iminentes ataques. Isso é loucura ou pelo menos, enlouquecedor. Abraços. paz e bem.

CONTRA

Lengo D'Noronha disse...

Não concordo.
Sou Contra.

Silvares disse...

Pareceu-me um tremendo abuso, uma execução sumária. Como notou um humorista português, Afonso, num cartoon: "Nunca se sabe o que vai na cabeça de um Prémio Nobel da Paz."
Seria hipócrita dizer que fiquei indignado, mas a verdade é que não acredito na pena de morte. É confuso, apesar de ser contra até que não desgostei. Situações como esta dixam-nos desarmados perante o que nos vai realmente no íntimo.

Contra.

zamotanaiv disse...

Não, o Bin Laden tinha ar de ser um ajo porreiro.

jugioli disse...

Não!!! não concordei!!! Não era um anjo, e nen cordeiro precisa ser abatido do jeito que foi. Não houve julgamento, que a todos pertencem. Claro que basta lembrar as crianças que ele matou em nome do seu fundamentalismo, e declara-lo culpado, ou tudo que tenha feito...

A bug's life disse...

Alguém aqui sabe em que circustâncias ele foi morto exactamente? Ninguem sabe. Sabe-se lá se ele tinha uma arma. Sabe-se lá se ele disparou. Sabe-se lá se ele não ameaçou disparar contra algum refém. Não se sabe...

Mas mesmo não sabendo, ele foi morto e bem morto. Morre tanta gente boa neste mundo e ninguém se incomoda. Este não fazia cá falta nenhuma e só tenho pena que a morte dele não tenha sido lenta e dolorosa.

Eduardo P.L disse...

O Mundo já havia "julgado" o terrorista e assassino Bin Laden. Não é por aí que se pode ficar contra a forma como foi sumariamente liquidado. O que se pode discutir é se uma força de uma determinada nação pode entrar num determinado país, sem sua autorização, para executar uma ação de guerra ( aqui, guerra ao terror internacional ). Essa é a questão central. Se livrar cirurgicamente ( depois de 10 anos de caçada) foi uma atitude louvavel e sábia do governo Obama! Ponto para ele. Ponto para o mundo livre e democrático que luta contra o terror internacional. Mas fica sempre a questão das violações territoriais, que colocam em perigo a segurança das nações e seus povos! Quanto ao acerto da forma como foi eliminado, passados 10 dias dos fatos, ninguém mais se preocupa com o Bin Laden. As preocupações agora são com retaliações e represálias! Por outro lado, como agir contra o terror, quando nações, aparentemente amigas, dão cobertura aos terroristas! Esse é o centro da questão. E nesses casos vale o fato consumado. Se tivesse dado errado, os Estado Unidos da América do Norte seriam massacrados! Bahia dos Porcos é um bom exemplo. Aqui deu certo, e os tribunais internacionais vão lamentar a forma, mas relevarão por conta do sucesso da empreitada, clamada por milhões de cidadãos do mundo todo há 10 anos. Hipócritas os que lamentam a falta de um julgamento formal, execução e enterro digno a um bandido, assassino, terrorista e mercenário que foi Bin Laden.
Desta forma concluo dizendo que concordo como foi feita a ação, por entender não ter sido possível partilhar informações com os serviços secretos do Pasquitão, que davam cobertura ao alvo da missão! E nesses casos é preciso ser pratico, antes de tudo. É ato de legítima defesa, e nesses casos todos os tropeços legais são compreensíveis e irrelevantes! É como penso.

Lis disse...

Concordo plenamente com o Eduardo.
Um homem que executa milhares e milhares de pessoas indefesas lançando avioes contra edificios nao merece respeito algum!nao precisamos nem citar os outros crimes ,só esse dá direito aos Estados Unidos de fazer o que devia ter feito mesmo, sem dó!
aos que criticam a ação ,uma pergunta: possuiam algum parente ou amigo que estava naquele dia nas torres gêmeas?
Portando A Favor , sem argumentos pra defender a forma como esse terrorista deveria ser morto.
Por mim, já foi tarde mesmo!

james emanuel de albuquerque disse...

Dizem que numa guerra, a primeira vítima é a verdade.

Talvez daqui a sessenta ou setenta anos, ou mesmo mais, o Estado libere uma versão totalmente diferente, dependendo de quem seja o inimigo da hora.

Pelo horror de seus crimes, não concordo: espero que ele esteja, atualmente, sendo lentamente retalhado com uma gilete cega.


Um abraço.

Transcrito do Fabio B disse...

Depois de 10 anos escondido, Bin Laden foi sumariamente assassinado, contrariando todas as convenções e tratados de guerra já assinados. Pressupõe-se, no Estado de direito, que um cidadão só pode ser considerado culpado depois de um julgamento justo. Parece redundante a expressão, mas a história está cheia de julgamentos injustos. Mas fique claro que essa defesa do direito não significa a defesa dos atos de Bin Laden.

O que me incomoda até os ossos é a comemoração da morte, qualquer uma, de qualquer pessoa, seja ela considerada demônio ou santa, porque a história está cheia de bandidos heróis e heróis bandidos, justiçados ou injustiçados posteriormente. É melancólico e ao mesmo tempo assustador perceber que quase ninguém se dá conta que quando alguém comemora a morte sumária de um cidadão por parte de um Estado é a mesma coisa que comemorar a concessão de sua própria morte.

Bin Laden não estava armado, e, de acordo com uma de suas filhas, foi capturado vivo e executado na frente da família. Se aprovarmos isto, estaremos dando o direito de o governo norte-americano entrar em qualquer país, invadir qualquer casa e matar qualquer cidadão. Isso é assassinato, e Barack Obama, o mandante, torna-se, já que confesso, um criminoso que deve ser também julgado pelo seu crime. Além do mais, ao dizer que havia feito justiça, jogou a ideia de justiça na lata de lixo da história, porque a fez quase com as próprias mãos, e nem mesmo as lavou.

Ficou óbvio também que a ordem de Obama era para matar, porque o julgamento de Osama bin Laden daria a chance do próprio se defender. Não que houvesse perdão. Ele é confesso nos caso do 11 de Setembro, e é bem provável que, diante de um júri, confirmaria seu mea culpa. Porém, suas palavras de defesa e seus ataques (desta vez verbais) ao imperialismo cruel do Estado norte-americano seriam como uma nova Bíblia para uma parcela do mundo islâmico. E é por isso que Barack Obama preferiu seu quase homônimo morto.

A bug's life disse...

@Transcrito do Fabio B disse...

que barbaridade de argumentos, hipocrisia e anti-americanismo primário de mais um demagogo utopico de esquedsa

Se tivesse sido a tua morta por bin laden queria ver

Anônimo disse...

Como é que se pode ficar escandalizado pela execução de alguém que foi responsável (a menos que as imagens das varias confissões não sirvam de prova como é tradição no nosso país) pela morte de mais de 3200 pessoas apenas no 11 de Setembro?

Alguma dessas pessoas teve direito a algum tipo de julgamento?

Foi envida uma mensagem muito clara ao terrorismo internacional. Os responsáveis não estão seguros em lado nenhum, até nos habituais "portos seguros".

Mais importante que a execução deste assassino em massa foi toda a informação sobre a organização que os americanos deitaram as mãos. Quantas vidas INOCENTES vão poder ser salvas por essa informação?

Nós estamos aqui seguros no nosso cantinho, por isso se defende direitos de uma pessoa que, quanto a mim, apenas tinha direito a uma morte muito lenta e ainda mais dolorosa.

Pelos comentários que estou a ler aplica-se completamente a expressão:
"One murder makes a villain, millions a hero."

Lengo D'Noronha disse...

Vingança não condiz com Justiça.
Estou com Fabio B.

Contra.

Eduardo P.L disse...

Antonio ( LENGO D´NORONHA),

o conceito de justiça numa guerra são muito diversos da JUSTIÇA em tempo de paz! A GUERRA contra o TERROR, declarada por eles TERRORISTAS, contra os Estado Unidos da América e outros países da Europa, requerem respostas e ações proporcionais e equivalentes, sob pena de se perder essa guerra. Isso não é VINGANÇA, é uma ação de GUERRA. Estou com o
A bug's life disse contra esse Fabio B

"que barbaridade de argumentos, hipocrisia e anti-americanismo primário de mais um demagogo utopico de esqueda"

Faço minhas as suas palavras e serve para seu comentário!

Lengo D'Noronha disse...

Guerra ou outra qualquer palavra entra no campo da semântica e não justifica. Tenta explicar.

Abç

Mar de Bem disse...

Achei muito pior o enforcamento de Saddam Houssein...

Maria de Fátima disse...

a minha posição neste crime como na pena de morte, é este (e para as atitudes em "guerra" o mesmo!) não reconheço o direito de alguém,ainda mais alguém que represente uma instituição e que por isso é sempre visto como "exemplo", exercer o acto de retirar a vida a outro sem que o faça em legítima defesa factual, o que não é o caso na morte em questão, como o não é na pena de morte ou em muitos actos em cenário de guerra
sou contra!
actuar assim, é dizer a todos que retirar a vida é um modo de fazer justiça e por isso lícito
e eu discordo!
como discordo do exemplo que é dado de exercer prepotência do mais forte sobre o mais fraco!
pode ser o mais temível assassino: se ele é mau quem exerce justiça deve não o ser!!!ou estará a ser um assassínio consciente, preparado, tantas vezes com muito mais consciência do que o fazem os que são criminosoos a ser julgados - não é o caso de Bin Laden, mas acontece nas execuções sumárias em teatro de guerra (injustas tantas delas, que mais não seja porque as razões mudarão mal acbe a contenda...) e acontece em todas as execuções à morte!
Uma palavra ainda para as manifestações de regozijo: foi-me confusa (incómoda!) a manifestação de júbilo pelo assassinato do BL!
lembrava-me tempos passados em que a populaça acorria a ver e a apupar o desgraçado a ser executado no cadafalso ( e na maioria dos casos eram isso mesmo: desgraçados!)
os animais matam-se uns aos outros por sobrevivência
nós não precisamos desse modo...

expressodalinha disse...

Concordo com a execução e com a forma como foi efectuada. É um caso típico em que se justifica a perseguição e execução sumária. Levar o homem a julgamento era exacerbar os ânimos. Reparem que nada se passou. Os islamitas nem repararam. Se tivesse sido levado a julgamento, as potencialidades de atentados e de manifestações eram enormes. Assim andam entretidos a matar-se uns aos outros, em busca da liberdade.

Eduardo P.L disse...

Jorge, estamos de TOTAL acordo! Sempre!!!! srsrsr Curiosamente!!!!srsrs

Lengo D'Noronha disse...

Desculpe, Jorge, mas colocar no mesmo tacho o facínora Bin Laden e "os islamitas" é puro preconceito.

Abç.

expressodalinha disse...

Eduardo: é verdade "curiosamente" estamos de acordo.

expressodalinha disse...

Meu Caro Lengo: não fui eu que os coloquei no mesmo saco. Sinceramente não tenho especial preconceito relativamente aos muçulmano. Apenas quis referir que nem eles se interessaram muito pela morte. Abraço.

Anne Lieri disse...

Eu concordo,porque se não fosse dessa maneira,nunca o pegariam e esse homem matou milhares de pessoas.Bjs,

chip disse...

nenhum dos dois lados estão certos , pois os estados unidos matam e continuam matando gente nos países deles , ngm sabe a verdade sobre o que acontece soldados dos eua matam crianças na frente dos proprios cidadões e isso não toma reperculção na midia , e pra que tudo isso? Para os Estados Unidos sairem como mocinhos sempre , ai qdo o outro cara se revolta e faz o que fez , é pra abrir os olhos de quem vive no mundinho perfeito que não sabe o que realmente é o sofrimento , o fato é o ser humano ta se destruindo cada dia mais e mais , não duvido nada daki uns 50 anos começar uma guerra nuclear ai morre tudo de vez , pro ser humano aprender a perdoar e querer sempre ser um superior aos outro..